Bicas - MG -
"Sem igualdade de oportunidades, falar de meritocracia é piada",
afirma economista do Instituto Ayrton Senna

Em entrevista, Ricardo Paes de Barros – que também é professor do Insper e economista de formação liberal
– criticou a naturalidade com que a sociedade aceita o conceito de “educação de pobre” e “educação de rico”.
Como discutir o mérito de quem chegou em primeiro lugar em uma corrida
onde as pessoas saíram em tempos diferentes e a distâncias diferentes?

Editado e publicado em 03-02-16
Foto: Reprodução/Youtube

Especialista na questão da desigualdade social, o economista Ricardo Paes de Barros, do Instituto Ayrton Senna, problematizou o conceito de “meritocracia” que é defendido por uma parte mais conservadora da sociedade brasileira. Em entrevista ao portal Valor, Barros afirmou que não há meios de se falar em meritocracia em um país carente de igualdade em oportunidades.

“Sem resolver a desigualdade de oportunidades, ficar falando em meritocracia é piada. Como discutir o mérito de quem chegou em primeiro lugar em uma corrida onde as pessoas saíram em tempos diferentes e a distâncias diferentes?”, questionou o economista, que também é professor no Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper).

Para Barros - que se formou em economia em Chicago (EUA), em uma instituição de corrente liberal – o país tem avançado no combate às diferenças de oportunidades nas escolas mas avalia que a sociedade ainda reforça um conceito e, ainda mais grave, o naturaliza, de que há uma “educação de rico” e uma “educação de pobre”.

“Você está naturalizando o fato de que uma criança pobre pode aprender menos, e uma criança rica tem que aprender mais. É o conformismo, o naturalismo”, pontuou o professor, um dos formuladores de programas de distribuição de renda que deram origem ao Bolsa Família.

Fonte Portal Forum

Leia também:

Quadrinho desconstrói o conceito de “meritocracia”

De forma quase didática, um ilustrador australiano resumiu bem como a ideia de que as pessoas têm as mesmas oportunidades não é verdadeira; confira

É muito comum no Brasil, principalmente depois da ascensão de parte da população com os programas de transferência de renda do governo, algumas pessoas recorrerem ao conceito de “meritocracia”. Essa ideia é, normalmente, utilizada para criticar as medidas sociais usando a justificativa de que todos têm as mesmas oportunidades e que o mérito verdadeiro – o sucesso profissional, por exemplo – depende unica e exclusivamente do esforço individual.

De modo simples e quase didático, o ilustrador australiano Toby Morris consegue desconstruir esse conceito. Por meio de duas histórias distintas, em um quadrinho intitulado “On a Plate” [em português, De Bandeja], Morris resume bem a condição a que muitos estão submetidos e expõe os privilégios que os defensores da meritocracia carregam consigo e não enxergam.

Confira a versão com a tradução livre feita pelo Catavento.

Fonte: Catavento - Cultural e Educacional

Bicas News - Service Edu/Cultural


Copyright © 2016 - Bicas News by Navearte - Praça Rui Barbosa, 33 - Centro - Bicas - MG - CEP: 36600-000 - TEL: (32)3271-2244 - WhatsApp: (32) 98862-2244